Diapositivo1.JPG

MAGNA MATER

CULTURA E ESPIRITUALIDADE DA DEUSA

 

APRESENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO do CURSO

 

- Introdução

- O que se pretende com o Curso e o Processo Transformador

- Objetivos

- 8 Festivais, 8 Módulos

- Estrutura e Organização do Curso

- Desenvolvimento emocional e intuitivo, espiritual e devocional, cognitivo e da criatividade

- Movimento da Deusa e Sagrado Feminino e os seus Valores

- Testemunho Pessoal

INTRODUÇÃO

“Vocês não têm um panteão de imagens femininas criadoras poderosas, como o masculino, que sirva de padrão da imagem positiva da força feminina. Assim os homens esforçam-se por ser másculos e as mulheres por adquirirem a força através da vibração masculina, não possuindo nenhum dos dois uma visão clara da potência feminina. Criem essa imagem.”

Barbara Marciniak

 

O Curso Magna Mater é uma formação centrada no estudo, investigação e prática devocional, inserida no atual contexto do Movimento da Deusa e da recuperação das antigas tradições do Seu ancestral culto, que foi desaparecendo há mais de cinco mil anos. Ela que foi a primeira divindade a ser cultuada pelo ser humano.

Trata-se de um Curso destinado a quem pretende trabalhar e conhecer melhor a cultura, o culto e as antigas sociedades que honraram o sagrado feminino, bem como os seus valores e tradições.

O culto da Magna Mater, a Grande Mãe, advém da cosmovisão dos povos da antiguidade em que a Terra era vista como o grande ventre cósmico de onde tudo nasce, se desenvolve e para onde tudo retorna.

Da mesma forma, a Mulher, as suas qualidades e o seu corpo cíclico – e em sintonia com os da Terra e da Lua –, a sua capacidade de gerar e alimentar vida, eram reverenciados com a mesma sacralidade.

A Deusa e as Suas representações são, portanto, o reflexo da Mulher, da sua força e do seu poder.

A tua energia feminina está alinhada com a da Deusa-Mãe e a da Terra. A Mulher, a Terra, a Deusa, são entidades geradoras de vida, simultaneamente pontos de partida e de chegada do mistério da vida e da morte.

Ao longo desta formação pretende-se, em particular, aprofundar o sagrado feminino em Portugal, e também no mundo, conhecendo outras tradições de divindades femininas em diferentes continentes, pois o culto da Deusa foi (e é) transversal a todas as regiões do globo (a presença do divino feminino e da Deusa está presente ainda hoje em realidades tão diferentes como o México, o sul da China ou regiões do Médio Oriente).

É a compreensão dessa centralidade da Deusa e da Mulher, na atualidade e nas suas múltiplas vertentes, que se pretende recuperar e revitalizar ao longo deste Curso.

 

O QUE SE PRETENDE COM O CURSO E PROCESSO TRANSFORMADOR

Magna Mater é um curso teórico-prático, que envolve tanto exercícios práticos e devocionais, como o contacto, descoberta e exploração de sítios na natureza, já conhecidos ou por explorar, como a forma de aprofundar a união com a Deusa e os Seus espaços como o Seu corpo sagrado.

São-te apresentadas propostas transformadoras de reflexão sobre a ti e a tua vida, implicando um sistema intenso, belo e profundo de autoconhecimento, tocando em questões do coração e da alma. Poderás trabalhar-te interiormente e atravessar importantes processos curativos, libertadores e desencadeadores de mudança.

Engloba o estudo e reflexão sobre a condição feminina, a Mulher e o mundo atual, por parte de importantes autoras e autores que têm desenvolvido teorias sobre a Deusa, a importância do resgate da Sua presença nos dias atuais, e a tealogia, ecofeminismo, economia da dádiva, entre várias outras correntes de pensamento centradas no Feminino.

Dá-nos a conhecer (ou revisitar) autoras/es como Riane Eisler, Eve Ensler, Jean Markale, Simone de Beauvoir, Marija Gimbutas, Carol P. Christ, Clarice Pinkola Estés, entre outras/os, que apelam a um novo olhar sobre a condição feminina, diferente daquele cujas ideologias nos acostumámos a receber ao longo da nossa socialização patriarcal.

OBJETIVOS DO CURSO

  • Ressacralização da vida;

  • Autoconhecimento, desenvolvimento e valorização pessoal;

  • Desenvolvimento da intuição;

  • Reconexão com a natureza, com os seus ciclos e com o corpo, compreendendo a relação entre a natureza, a Deusa e a mulher;

  • Valorização do modo de ser próprio e do poder feminino;

  • Compreensão dos principais arquétipos do feminino;

  • Fomento da criatividade;

  • Valorização da beleza como portal para a manifestação do sagrado;

  • Redescoberta de tradições significativas do universo feminino na nossa cultura;

  • Revalorização dos ofícios e artes femininas como fomentadoras de sociedades de paz;

  • Valorização dos vínculos entre as mulheres;

  • Conhecimento de algumas das principais culturas do passado e do legado da Deusa;

  • Conhecimento das raízes do Movimento da Deusa e suas principais impulsionadoras;

  • Compreensão das relações existentes entre a espiritualidade e a realidade sociopolítica em que vivemos;

  • Compreensão do nosso sistema social e sua comparação com sistemas sociais alternativos;

  • Desenvolvimento do gosto pela pesquisa, redescoberta e revalorização do papel da mulher na história da humanidade;

  • Implicação em algumas das principais questões ambientais e sociais do nosso tempo;

  • Conhecimento das principais Deusas da nossa cultura e celebração da Roda do Ano;

  • Reconhecimento e resgate de lugares de poder no nosso território.

 

OITO MÓDULOS, OITO FESTIVAIS DA DEUSA

Cada Módulo tem um tema diferente de acordo com a cada fase e energia da Roda do Ano da Deusa:

- Samhain: encarar a morte (simbólica e física) como um portal de vida, para novo reinício, de acordo com os cultos mais remotos da divindade feminina que celebravam a ciclicidade do nascimento, vida, morte e renascimento

- Yule: o honrar da ancestralidade e o aprofundamento da ligação à dimensão imaterial, às práticas meditativas, o honrar a nossa ancestralidade e, em particular, a nossa linhagem feminina

Imbolc: tempo da Deusa Menina, de festejar os novos inícios, do regresso da Luz, tempo da vivificação e do despertar da semente em embrião no subsolo, tal como, na nossa vida, os nossos projetos pessoais que se pretende materializar

- Ostara: festividade do Fogo e da Luz, tempo de Equinócio, de equilíbrio entre os dias e as noites, do regresso da Primavera e da celebração da vitalidade e da fertilidade

- Beltane: aprenderemos a ver e sobretudo sentir o nosso corpo de mulher como sagrado e como veículo sagrado de sexualidade consciente, saudável e equilibrada. A beleza vista como o Amor manifestado na matéria e como portal de autenticidade

- Litha: tomamos consciência da importância do elemento Água, e compreendemos como todas as águas iniciais do princípio da Vida foram transferidas para o corpo da Mulher. Conhecemos e conectamo-nos com as Deusas das Águas

- Lammas: celebração da generosidade da Mãe e das Suas águas uterinas, da Senhora do Grão, da festa do pão, e os valores de abundância, alimentação e cuidado, época das primeiras colheitas na natureza e de festejar a prosperidade na nossa vida pessoal

- Mabon: época de coroação da “rainha” que há em nós, a festividade da concretização e manifestação dos nossos sonhos e planos, celebração das segundas colheitas, da fartura e riqueza da terra, honrando a energia ctónica da Deusa no Seu aspeto Terra e de Rainha do território

Sendo cíclicos os ritmos da Deusa e da Roda do Ano, esta formação acompanha essa circularidade, aproveitando, em cada Módulo, a força das energias dominantes do momento.

Seguindo cada Festival, o convite é aprofundar a reflexão sobre a face da Deusa em cada momento, e igualmente explorar as diversas faces que cada uma de nós encerra em si, desde a Menina à Anciã, da Donzela Amante à Mãe.

Familiarizamo-nos com a dualidade da Deusa do nosso território, Calaica-Beira: envolvidas na Sua amorosidade e compassividade, tanto no Seu lado luz como na Sua necessária implacabilidade, retirando o que não nos faz falta, no Seu lado sombra, que é, na verdade o espelho da própria dualidade feminina.

Ficamos a conhecer as nossas divindades femininas autóctones do território português como Atégina, Trebaruna, Iccona-Loimina, Caria…

 

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DO CURSO

ESTRUTURA DO CURSO

O Curso está estruturado em oito Módulos, de acordo com a energia de cada uma das oito fases da Roda do Ano da Deusa, e, de acordo com ela, cada Módulo sugere atividades de interiorização/desenvolvimento pessoal; práticas meditativas; leituras; visionamento de vídeos; reflexão escrita; trabalho de campo e artes manuais.

As Tarefas de cada Módulo serão enviadas de seis em seis semanas, aproximadamente, por e-mail, a realizar dentro dos prazos estabelecidos, bem como a indicação de todas as fontes a consultar, normalmente online, e vários outros recursos complementares.

Ser-te-ão propostos trabalhos práticos diários e devocionais, como meditação e enraizamento, o desenvolvimento da conexão com a tua interioridade e espiritualidade com a Deusa, com as Suas forças energéticas visíveis e intangíveis, e com as tuas próprias emoções (é aconselhada a prática do registo de sonhos, insights, intuições), trabalhos manuais práticos (“O Ofício de Fazer”), através dos quais desenvolvemos habilidades pessoais e nos ligamos à Deusa com a elaboração de artefactos sagrados utilizados pelas/os nossas/os ancestrais.

 

ORGANIZAÇÃO DO CURSO

O curso tem conteúdos teóricos e atividades práticas manuais, que apelam à exploração de dons pessoais que já conhecemos e outros por descobrir, e propostas tanto de conexão com a natureza como com a nossa dimensão espiritual e devocional.

Magna Mater tem uma forte componente de criatividade, pelo que se enfatiza a descoberta e o desenvolvimento de novos ou já conhecidos talentos criativos e artísticos como o canto, a poesia, a dança, a pintura, o desenho, trabalhos manuais como bordar, costurar e coser, conhecer e praticar a musicalidade dedicada à Deusa, entre outros (“O Ofício de Fazer”).

Serás convidada a realizar Jornadas Meditativas e a recriar as tuas próprias Cerimónias pessoais.

São igualmente apresentadas propostas de “Trabalho de Campo” (visitas ou descobertas de sítios arqueológicos, de antigos templos da Deusa), e Observação da Natureza, ao longo das oito Festividades anuais da Deusa, dando atenção a fenómenos geológicos na paisagem física entendida como o próprio corpo sagrado da Deusa nas suas transformações cíclicas e sazonais.

Neste aspeto, (re)descobrimos uma outra dimensão do nosso país e tornamo-nos exploradoras da Deusa, dos Seus lugares sagrados e de poder, dos Seus antigos locais de culto. A investigação pode partir da própria região onde vives – ou outras – de forma a (re)descobrir lugares e paisagens sagradas da Grande Mãe.

Três obras de leitura obrigatória formam a base teórica do Curso, e outras serão apresentadas como complementares e facultativas.

“A Deusa do Jardim das Hespérides”, da autoria de Luiza Frazão, criadora e Orientadora do Curso Magna Mater, é a obra de referência base teórica da estrutura e conteúdo programático do Curso.

As outras leituras são baseadas na força do lado instintivo da Mulher (no caso da tese de Clarice Pinkola Estés) e dos seus arquétipos, e (através da obra de Riane Eisler) em revolucionárias (re)descobertas arqueológicas, históricas, sociológicas, de toda uma civilização milenar.

Contarás com uma orientação personalizada e atenta, com um caloroso acolhimento e acompanhamento, sendo sempre vistas como mais valias as trocas de impressões com a Orientadora e a recetividade e boa energia para trabalhar, aprender e expandir.

 

DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL, INTUITIVO, ESPIRITUAL, DEVOCIONAL, CRIATIVO E MENTAL

Na energia e no culto da Deusa conectamo-nos essencialmente na matéria, no enraizamento, no corpo, na fisicalidade, na gestação e nutrição, na nossa natureza física. E, da mesma forma, na intuição e no instinto – em equilíbrio com o plano mental ou abstrato –, pois entende-se a matéria como fonte de sacralidade.

Trata-se de um caminho extraordinário onde é essencial abrires-te à tua intuição e dimensão instintiva, tanto quanto aos processos mentais.

A importância das emoções e da inteligência emocional é o ponto de partida para um novo paradigma, para um novo modelo de sociedade baseado em valores da dádiva, afetividade, empatia, partilha, paz, nutrição, cooperação e diálogo.

 

MOVIMENTO DA DEUSA E O SAGRADO FEMININO E SEUS VALORES

A ênfase do Curso Magna Mater é colocada no Feminino e no Divino Feminino. Na consciência e familiarização com a importante e progressiva mudança de paradigma a que estamos a assistir na cultura e no mundo de hoje, de uma sociedade patriarcal para uma sociedade matrifocal mais equilibrada, baseada nos valores da Deusa Mãe.

Ao longo do curso és encorajada a ir mais além na tua interioridade, sendo propostos trabalhos como visualizar documentários ou TED Talks que farão repensar a forma como aa atual socialização da Mulher.

E, da mesma forma, repensar a relação entre ambos os géneros, feminino e masculino, e as suas energias e dinâmicas, resgatando, tanto nos homens como nas mulheres, partes “perdidas” do Sagrado Feminino, que a sociedade patriarcal foi removendo ou distorcendo.

Conhecerás sistemas de economias de dádiva de sociedades matrifocais e matrilineares que se baseiam em valores de partilha, entreajuda, altruísmo e laços de confiança, criando comunidades mais justas e igualitárias.

Compreenderás a urgência com que todas necessitamos da Deusa e da Sua espiritualidade para um verdadeiro empoderamento e fortalecimento espiritual. Para redimir o Sagrado Feminino, que conheceu milénios de apogeu em sociedades prósperas e pacíficas, mas que tem sido relegado no esquecimento desde há mais de 5 mil anos.

As consequências serão tanto psicológicas como políticas, familiares e sociais, culturais e económicas. Propõe-nos uma nova ordem social, se ousarmos pensar mais além.

Porque a força do símbolo da Deusa pode, efetivamente, inspirar e criar uma nova realidade.

Blogue de apoio: http://culturaeespiritualidadedadeusa.blogspot.com/

Imagens: Cortesia de Andreia Mendes