Buscar
  • Luiza Frazão

Sacerdotisa - uma função que nos traz muita alegria e sentido de expansão


Muitas de nós sentimos no nosso coração o apelo de nos tornarmos Sacerdotisas da Deusa. Lembro-me da excitação com que há anos acolhi essa possibilidade e nunca me arrependi de ter dito sim a esse chamamento da Deusa - um apelo por mais sentido e significado para a minha vida.

Realizar cerimónias, que permitem que nós mesmas e outras pessoas sintam, experienciem, a presença profundamente curadora e transformadora da Deusa, é algo que preenche a nossa alma como acredito que mais nada nesta dimensão consiga. Vamos para lá da nossa dimensão pessoal, dos nossos interesses pessoais, lidamos com, trazemos a esta dimensão a dimensão do sagrado. E isso é profundamente gratificante e sério e muito belo.

Embora não nos impeça de vivermos a vida como pessoas comuns, apenas o fazemos com maior consciência, acredito, ou pelo menos trabalhando para isso, para irmos ganhando cada vez mais consciência e sentido de responsabilidade pela vida em geral, pelo planeta, pela justiça, pelo bem maior.

Muitas de nós trazemos memórias de outras vidas em que pudemos servir a Deusa, memórias que estes tempos em que vivemos felizmente têm vindo a criar condições para que possam despertar e ativar-se. É óbvio que o fazemos a partir da nossa condição de mulheres deste tempo e que, quando concretizamos a nossa dedicação à Deusa, estamos apenas fazendo a nossa iniciação num caminho de desenvolvimento pessoal e espiritual com muitas milhas a percorrer no sentido duma melhor gestão das questões do ego, desenvolvimento da compaixão, da intuição, da abertura de coração, de apuramento da nossa ética, de redução da nossa pegada ecológica, de envolvimento nas questões de justiça social e ambiental, etc.


A função de Sacerdotisa é uma função que apela muito à nossa alma também pelos elementos com que lidamos, por lidarmos com o belo, a arte, as artes, os ofícios, a própria arte de nos vestirmos e de usarmos enfeites e acessórios que sempre distinguiram aquelas que serviram e servem a Grande Deusa nas várias culturas do mundo. Acessórios que nos permitem deixar de parte a nossa identidade e atividade normais e entrar num outro papel e função de servir e de incorporar a Deusa.

Naturalmente, voltamos a sentir-nos criativas como na adolescência e temos agora a mais profunda motivação para realizarmos com as nossas mãos itens que muitas vezes já amávamos fazer mas não tínhamos razão suficiente para isso. A Deusa entretanto dá-nos esse propósito, e isso traz-nos muita alegria e sentimento de realização e de expansão. Sentimo-nos mais vivas, mais presentes na vida, mais ousadas, mais talentosas e habilidosas; partes de nós adormecidas são como que ativadas e a nossa vida ganha outra amplitude e dimensão..


.

Ser Sacerdotisa não é perder nada da vida, muito pelo contrário, é acrescentá-la e ampliá-la.




135 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo